Skip to content

Copa do Brasil 2018 pode ter pior desempenho de um artilheiro na história

outubro 17, 2018

A atual edição da Copa do Brasil pode ter um marco negativo: a do artilheiro com o menor número de gols na história. Atualmente, quem lidera a lista são três nomes: Gagibol, do Santos, Romulo, do Avaí (está no Al Dhafra, dos Emirados Árabes, emprestado pelo time catarinense) e Neílton, do Vitória, com quatro. O pior rendimento até então foram nos anos de 2007, com André Lima (Botafogo-RJ), Dênis Marques (Atlético-PR) e Victor Simões (Figueirense), 2011, com Adriano e Kléber (Palmeiras), Rafael Coelho e Willian (Avaí) e Alecsandro (Vasco) e 2017, com Rafael Sobis (Cruzeiro), Léo Gamalho (Goiás) e Lucas Barrios (Grêmio). Todos com apenas cinco tentos.

Quatro jogadores que vão jogar a final entre Corinthians e Cruzeiro têm a chance de impedir o feito: Romero, do Corinthians, que tem três gols, e Barcos, Raniel e Thiago Neves, com dois cada. Vale lembrar que cada clube entrou nas oitavas de final e, portanto, tiveram sete jogos até aqui. O Timão passou por, respectivamente, Vitória (0 a 0 e 3 a 1), Chapecoense (duas vitórias por 1 a 0) e Flamengo (0 a 0 e 2 a 1). A Raposa eliminou na sequência o Atlético-PR (2 a 1 e 1 a 1), Santos (1 a 0 e 1 a 2, passando nas penalidades por 3 a 0) e Palmeiras (1 a 0 e 1 a 1).

Gols do Corinthians: Romero (3), Clayson, Jadson, Danilo Avelar e Pedrinho
Gols do Cruzeiro: Barcos, Raniel e Thiago Neves (2), Arrascaeta, Henrique

Todos os artilheiros da Copa do Brasil

1989 – Gérson (Atlético-MG) – 7 gols
1990 – Bizú (Náutico) – 7 gols
1991 – Gérson (Atlético-MG) – 6 gols
1992 – Gérson (Internacional) – 9 gols
1993 – Gilson (Grêmio) – 8 gols
1994 – Paulinho (Internacional) – 6 gols
1995 – Sávio (Flamengo) – 7 gols
1996 – Luizão (Palmeiras) – 8 gols
1997 – Paulo Nunes (Grêmio) – 9 gols
1998 – Romário (Flamengo) – 7 gols
1999 – Petkovic (Vitória) e Romário (Flamengo) – 8 gols
2000 – Oséas (Cruzeiro) – 10 gols
2001 – Washington (Ponte Preta) – 12 gols
2002 – Deivid (Corinthians) – 13 gols
2003 – Nonato (Bahia) – 9 gols
2004 – Alex (Botafogo) e Dauri (XV de Novembro) – 8 gols
2005 – Fred (Cruzeiro) – 15 gols
2006 – Valdiran (Vasco) – 6 gols
2007 – André Lima (Botafogo-RJ), Dênis Marques (Atlético-PR) e Victor Simões (Figueirense) – 5 gols
2008 – Edmundo (Vasco) – 6 gols
2009 – Taison (Internacional) – 7 gols
2010 – Neymar (Santos) – 11 gols
2011 – Adriano e Kléber (Palmeiras), Rafael Coelho e Willian (Avaí) e Alecsandro (Vasco) – 5 gols
2012 – Luís Fabiano (São Paulo) – 8 gols
2013 – Hernane (Flamengo) – 8 gols
2014 – Gabigol (Santos), Bill (Ceará) e Léo Gamalho (Santa Cruz) – 6 gols
2015 – Gabigol (Santos) – 8 gols
2016 – Marinho (Vitória) – 6 gols
2017 – Rafael Sobis (Cruzeiro), Léo Gamalho (Goiás) e Lucas Barrios (Grêmio) – 5 gols

Corinthians e Cruzeiro decidem nesta quarta-feira quem vai ficar com o título da Copa do Brasil de 2018. Além do caneco, do prêmio de R$ 50 milhões ao vencedor e a vaga na próxima edição da Copa Libertadores, o campeão vai se isolar como o maior ganhador de taças nacionais nos anos 2000.

Ambas as equipes somam seis troféus de Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil no período. O mineiros venceram o Nacional de 2003, 2013 e 2014 e a competição de mata-mata em 2000, 2003 e 2017. Os paulistas foram campeões da Copa do Brasil em 2002 e 2009 e do Brasileiro em 2005, 2011, 2015 e 2017.