Skip to content

Tévez lembra de ajuda do Palmeiras e quer revanche contra o rival

outubro 22, 2018

Palmeiras e Boca Juniors começam a decidir uma vaga na final da atual edição da Libertadores na próxima quarta-feira. O primeiro capítulo será na Argentina, no estádio La Bombonera. Será mais um reencontro entre as equipes, já que elas estavam no mesmo grupo.

Falando nisso, vale lembrar que os argentinos, na última rodada, dependiam de uma vitória do Palmeiras diante do Junior Barranquilla, aliada a um triunfo próprio diante do Allianza Lima e ambos aconteceram. Foi o que lembrou o atacante Tévez, que promete um Boca diferente no novo duelo.

– Me lembro disso, que naquela semana falava-se se o Palmeiras deixaria o Junior Barranquilla ganhar, que seria conveniente o Boca ficar fora, mas o futebol dá isso a você, dá a revanche, de poder encontrar com eles de novo. É uma semifinal muito charmosa, vai ser muito linda. Temos que desfrutar e sermos inteligentes a todo momento. Isso certamente eles estão pensando, que não nos deixaram fora e agora nos reencontramos. Mas o jogador, também, quando quer ser campeão, sabe que tem que ganhar de todo mundo. E com certeza eles vão tentar fazer isso. E nós também: para sermos campeões temos que ganhar de qualquer um.

Do outro lado da chave estão Grêmio e River Plate. Portanto, uma eventual final pode ter dois clubes brasileiros, dois argentinos ou um de cada país. Tévez foi questionado sobre uma decisão caseira e diante do maior rival, mas pregou respeito ao Palmeiras.

– Eu me vejo na semifinal com o Palmeiras. Não penso em final contra o River, seria um grande erro pensar no River e não pensar no Palmeiras. Está na semifinal, é muito difícil. Empatamos lá, perdemos em casa, Boca não é de perder em casa. Temos que dar o máximo para ganhar deles.

No confronto entre os times na fase de grupos, o Palmeiras venceu o Boca na Argentina por 2 a 0 (gols de Keno e Lucas Lima) e jogando em sua arena empatou por 1 a 1 (Keno e Tévez). No duelo direto nesta Libertadores, portanto, o Verdão leva vantagem, mas o jogador do Boca, que deve começar no banco quarta-feira, disse que sua equipe está diferente e que ela cresceu de rendimento no decorrer da competição.

– Sim, uma semifinal de Libertadores é diferente. Nosso time não é o mesmo, estamos crescendo. Eu gostei da inteligência que mostramos no Mineirão (contra o Cruzeiro, nas quartas de final), porque não ficamos desesperados, não fomos para defender e foi justo. Fizemos a diferença aqui com o 2 a 0 e depois tivemos a vantagem e crescemos muito. Não temos que pensar que vamos ganhar porque somos o Boca, nós que fazemos a diferença. Para mim, tivemos um crescimento grande, os jogadores entenderam isso muito bem e por isso estamos na semifinal.