Skip to content

Palmeiras questiona suspensão de jogadores para o duelo direto contra o Flamengo; súmula de árbitro é controversa

outubro 22, 2018

O Palmeiras fez a lição de casa e, mesmo com um a menos desde o final do primeiro tempo (Deyverson levou cartão vermelho direto ao acertar o peito de Richardson com as travas da chuteira), venceu o Ceará por 2 a 1 no Pacaembu e agora terá o confronto direto na briga pelo título contra o Flamengo, no Maracanã. E para o duelo, o Verdão terá desfalques importantes: além do atacante que foi expulso, o lateral-direito Mayke, o volante Bruno Henrique e o meia Lucas Lima vão cumprir suspensão. Isso causou questionamentos e insatisfação entre membros do clube.

– É mesmo (sobre os desfalques)? Ah, não acredito. Só eu perdi? Parece até que tinham lista pronta. Parece que tinha uma lista pronta. Tenho um grupo de trabalho muito bom. Vai prejudicar, sim. Todo mundo sabe. Todo mundo sabe que vai prejudicar. Volto a afirmar: todo mundo sabe. Mas tem outros jogadores com excelente qualidade, confio no meu grupo, e o grupo que a gente colocar em campo vai dar conta do recado – reclamou Felipão para depois enaltecer o elenco.

O que chamou atenção e causou estranheza no treinador foi o fato de Bruno Henrique ter sido advertido com um cartão amarelo logo no primeiro minuto de jogo.

– Prejudica. É o capitão, um dos grandes jogadores da equipe. Estranho. Só isso que eu digo. Estranho. Que eu vou fazer? Não tem marca nenhuma na meia, nada. O juiz não marca a falta, depois volta. Só estranho. Fazer o quê? Não dá para entender.

Outro a mostrar sua insatisfação foi o diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos, que disse que o árbitro direcionou as aplicações dos cartões no duelo contra o Vozão.

– Parece que o árbitro sabia claramente do jogo do Maracanã. Sabia que o (Marcos) Rocha está machucado e deu cartão para o Mayke, que não era para dar. Deu cartão para o Bruno Henrique, que não era para dar. Deu cartão para o Lucas Lima, que não era para dar. Um atrás do outro… Ele direcionou. Então mais uma vez a gente fica pensando e cobrando, porque está muito estranho. Do jeito que foi, está muito estranho. Já sabe que tem um jogo no Maracanã, já tira meio time, já tira as opções. Não dá mais para ficar só calado e mandando DVD. E hoje é muito claro: foi dando cartões desnecessários que desfalcaram o Palmeiras no jogo de sábado que vem. Será que ele sabia? Será que ele sabia, “ah, esse aqui eu preciso tirar esse, tirar aquele…”?

O dirigente continuou:

– A preocupação é se esse cidadão já ficou “opa, dá para dar uma desfocada aqui, tem jogo lá no Maracanã, jogo difícil, vamos ver o que a gente faz aqui…” E foi logo na posição que o (Marcos) Rocha está machucado, o Jean machucou, tira o Mayke, né? Eu tenho convicção de que está estranho, não tem como saber. Aí vem um problema: o árbitro tem que vir aqui dar explicação. E o Palmeiras tem vindo de uma sequência de erros de arbitragem muito estranha, o tempo todo contra o Palmeiras. A sorte é que nós estamos conseguindo passar por cima disso. Sorte, não, competência – finalizou.

Fatos ‘curiosos’

Na súmula do jogo, o árbitro André Luiz de Freitas Castro explicou o cartão amarelo dado a Lucas Lima por excesso de faltas (“infringir persistentemente as regras do jogo, cometer faltas persistentemente”). Entretanto, o jogador fez apenas uma em todo o jogo.

– Fiquei triste. Até falei para o juiz que não tinha feito nada. Quem fez a falta foi o Moisés. Ele falou que eu acabei indo para cima do cara, mas não foi isso que aconteceu. Eu falei: “Pô, eu só jogo o Brasileiro e você conseguiu me tirar do jogo” (risos). Mas é isso, quem entrar vai dar conta do recado – disse o meia.

Na alegação ao cartão dado ao lateral-direito Mayke, o juiz disse que o jogador estava retardando um arremesso lateral, mas na verdade ele estava cobrando uma falta quando foi advertido (aos 28′ do segundo tempo).

– Não entendo, não sei se o juiz sabe quem está com dois e quem não está. Acho que não foi justo, demorei um pouco para bater a falta. Às vezes ele espera mais de seis ou sete segundos. Paciência. Se falar muita coisa aqui, leva punição – comentou Mayke.

Súmula do árbitro André Luiz de Freitas Castro Foto: reprodução