Skip to content

Palmeiras entra com pedido de efeito suspensivo para Mayke e Diogo Barbosa

outubro 12, 2018

O Palmeiras quer contar com seus dois laterais, Mayke e Diogo Barbosa, para o jogo contra o Grêmio, em confronto direto pela briga pelo título do Campeonato Brasileiro, às 16h deste domingo, no Pacaembu. Para isso, entrou com pedido de efeito suspensivo para os atletas junto ao STJD. Ambos foram punidos pelo por duas partidas por conta da confusão ao apito final no duelo contra o Cruzeiro, dia 26 de setembro, no Mineirão, válido pela volta da semifinal da Copa do Brasil, fase que a Raposa avançou e agora encara o Corinthians na final.

Com a punição, os atletas do Palmeiras teriam que ficar de fora pela competição de pontos corridos, já que o time foi eliminado do torneio mata-mata. Ambos são organizados pela CBF e por isso teriam que cumprir a pena diante dos gremistas e também contra o Ceará, na rodada seguinte.

Caso sejam liberados, Mayke será o titular da lateral-direita (Marcos Rocha está lesionado). Já Diogo Barbosa teria que se recuperar a tempo de uma pancada no tornozelo. O Verdão já não poderá contar com o lateral-esquerdo Victor Luis e o volante Felipe Melo, suspensos, além do atacante Miguel Borja, convocado para defender a seleção da Colômbia. Se o treinador Luiz Felipe Scolari tiver que improvisar, já que não teria jogadores de origem para as posições, o zagueiro canhoto Nico Freire e o volante Jean poderiam atuar nos setores.

O julgamento
O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) julgou na última quinta-feira o lateral-esquerdo Diogo Barbosa, o direito Mayke, ambos do Palmeiras, e o atacante Sassá, do Cruzeiro por conta da confusão generalizada entre jogadores das equipes após o apito final da partida, realizada no Mineirão e válida pelo jogo de volta das semifinais da Copa do Brasil, dia 26 de setembro – o time mineiro eliminou o paulista e faz a final com o Corinthians. Eles foram denunciados no Artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que diz respeito à prática de agressão física durante uma partida, prova ou equivalente. A punição em caso de condenação poderia chegar a 12 jogos.

Os três atletas foram punidos: o cruzeirense pegou seis jogos de suspensão e, portanto, está fora do segundo jogo da final do torneio (na ida, a Raposa venceu por 1 a 0 o Timão). E os jogadores palmeirenses foram punidos por dois compromissos. Como já não disputam mais a competição, a punição vale para o outro campeonato organizado pela CBF, o Brasileiro. Assim, eles serão ausências contra o Grêmio, domingo, às 16h, no Pacaembu, e também diante do Ceará, também no estádio, dia 21 deste mês. Voltam a ser opção para Luiz Felipe Scolari no dia dia 27 de outubro, frente ao Flamengo, no Maracanã, pela 31ª rodada.

Somente os jogadores do Verdão compareceram a audiência. O clube mineiro vai recorrer da decisão do Tribunal. O advogado Thetônio Chermont, que defendeu a equipe mineira no caso, solicitou a liberação de Sassá para o duelo contra o Corinthians na próxima quarta-feira, mas teve o seu pedido negado pelo auditor Rodrigo Raposo, que explanou: “Esquece, isso é premiar o jogador”.

Além deste compromisso, o atacante do time Celeste será ausência diante do Vasco (em São Januário), Chapecoense (no Independência) Ceará (no Mineirão), Paraná (no Mineirão) e América-MG (no Independência). Todos pelo Campeonato Brasileiro. Só voltará  a ficar à disposição no dia 10 de novembro, frente ao Atlético-PR, pela 33ª rodada, na Arena da Baixada.