Skip to content

Diretor de futebol do Milan confirma acordo com Flamengo por Lucas Paquetá

outubro 11, 2018

Se havia algum flamenguista esperançoso na permanência de Lucas Paquetá em 2019, as chances, praticamente, acabaram nesta quinta-feira (11). O diretor de futebol do Milan, o brasileiro Leonardo, confirmou que ‘há um acordo básico’ com a equipe rubro-negra pela jovem revelação.

Em entrevista ao jornal “Gazzetta dello Sport”, o ex-jogador e dirigente rossonero destacou o acordo com o Flamengo pelo meia-atacante, mas evitou oficializar a contratação. “Temos um acordo básico com o Flamengo, mas o mercado reabre em janeiro, então ainda temos um caminho a trilhar antes da oficialização. Agora temos que pensar apenas no Campeonato Italiano e na Liga Europa“, disse Leonardo.

O dirigente fez questão de afirmar que Paquetá ainda é jogador rubro-negro e o assunto de sua ida ao Milan será tratado ao término do Brasileirão 2018. Ele é esperado em Milão, na Itália, no início de 2019 para sacramentar a transferência.

Que jogador é? Agora é um jogador do Flamengo, deve jogar a próxima partida do Campeonato Brasileiro. Devemos esperar o dia 3 de janeiro“, completou.

Paquetá chegou a ser especulado em Manchester City e Chelsea, ambos da Inglaterra, e tinha conversas encaminhadas com o PSG-FRA graças ao apoio do craque Neymar. Porém, o diretor de futebol milanista Leonardo entrou na jogada e, como atuou na direção do clube francês entre 2011 e 2013, convenceu o atleta de 21 anos de que jogar no Milan daria mais visibilidade.

VALORES DA IDA DE PAQUETÁ AO MILAN

Na madrugada de terça para quarta, o Flamengo acertou a venda de Paquetá ao clube italiano por 35 milhões de euros (R$ 150 milhões), mais bônus por desempenho, e exigiu que o atleta jogasse as últimas 10 partidas do Campeonato Brasileiro 2018.

A diretoria rubro-negra aceitou o pedido de parcelamento dos italianos e receberá o valor de 35 milhões de euros, segundo o Globesporte.com, em quatro vezes: 5 milhões de euros no ato da assinatura de contrato de Paqueta, 15 milhões de euros em janeiro de 2019, 10 milhões de euros em junho de 2019 e 5 milhões de euros em janeiro de 2020.

O rubro-negro receberá 70% – que resulta em 25 dos 35 milhões de euros, enquanto os demais 30% será dividido entre a família de Lucas Paquetá e a Brazil Soccer, empresa responsável por cuidar de sua carreira.