Skip to content

Cúpula do Flamengo explica venda de Lucas Paquetá

outubro 17, 2018

O presidente Eduardo Bandeira de Mello, o vice de futebol, Ricardo Lomba, e o diretor geral, Bruno Spindel deram uma entrevista coletiva nesta quarta-feira, na Gávea, para dar explicações sobre a venda de Lucas Paquetá ao Milan, que teve sua oficialização há oito dias.

Eduardo Bandeira de mello e Ricardo Lomba comentaram sobre o ambiente político do clube, que terá eleições para presidente em novembro, e disse que as críticas da oposição, que tratou a venda como inacreditável, foram maliciosas.

– É leviano pensar que qualquer um de nós tinha interesse de nos desfazermos de um jogador que está no clube desde 11 anos, identificado com a torcida. Ninguém fica feliz em perder um ídolo. Grandes clubes europeus nos procuram há algum tempo. Tentamos renovar, com reajuste e novo prazo. Mas temos que olhar as aspirações profissionais. Ele queria jogar na Europa, jogar a Liga dos Campeões, em um futebol mais estruturado. Lá fora ele atua 45, 50 jogos no ano. Aqui, 85 jogos, o dobro, quase. Não somos donos do atleta. Temos contrato profissional – disse Ricardo Lomba.

O clube carioca fechou o negócio por 35 milhões de euros, abaixo da cláusula do atleta, que é de 50 milhões, e vai ficar com 24,5 milhões, divididos em quatro parcelas, o equivalente a 70% do que tem direito com relação aos direitos econômicos.

– Eu disse que a gente não perderia o Paquetá no meio do ano nessa janela se não fosse pelo valor da multa. Era importante não perder o jogador esse ano, justamente pelo assédio que vinha recebendo. Só sairia pelo valor da multa. Pagar o valor da multa não é negociação. O atleta manifesta seu interesse, paga pelo distrato e o jogador sai. No ponto de vista financeiro, é uma transação muito boa para o Fla. Do ponto de vista econômico é uma excelente transação. A multa é uma proteção do clube, não se pode tomar como referência para transação. Mas chegamos o mais próximo possível, ficamos muito perto do valor da multa. E a maior parte do dinheiro fica para o próximo triênio – comentou Lomba.

O diretor geral do Flamengo, Buno Spindel ressaltou que todo o dinheiro da negociação do jovem jogador será destinado ao futebol, que terá reposição no mesmo nível no ano que vem, além de dizer que não houve valor pago por comissão na venda.

– Temos certeza que teremos um Flamengo mais forte ainda no ano que vem. Todos os recursos da venda serão investidos no futebol. Vai nos ajudar ainda mais a brigar por títulos. Vamos fazer de tudo para que o Flamengo seja campeão de tudo. Preocupação era de que ele não saísse no meio do ano e tendo valor interessante e muito próximo da multa não prejudicasse ano esportivo de 2018 e nem 2019. O que seria prejudicar 2019? Seria sair com o calendário apertado da janela do início do ano. Com a negociação em outubro são três para fazer a reposição do atleta.

Confira a coletiva completa com esse e outros temas: