Skip to content

Febre maculosa causa a morte de uma adolescente de 15 anos no interior de São Paulo

agosto 1, 2018

A adolescente de quinze anos Laura Bertajoni, morreu devido a febre maculosa, no último fim de semana. A doença é transmitida pelo carrapato-estrela.

Após nove dias com os sintomas da doença, Laura não resistiu e faleceu em um Hospital de Campinas. O laudo laboratorial ainda não foi emitido, mas o atestado de óbito consta que a causa da morte foi devido a febre maculosa.

Como aconteceu

O tio da vítima contou que Laura piorou muito rápido, apresentou dores de cabeça, e em seguida convulsões e após complicações, a jovem sofreu um choque séptico.

A estudante foi internada em estado grave, entrando em coma induzido, apresentando um edema cerebral e um acidente vascular cerebral seguidos, causando a morte da jovem de apenas quinze anos.

Ainda segundo a família de Laura, a doação de órgãos foi cogitada, mas devido a contaminação não foi possível por questões de segurança de saúde.

A Prefeitura de Salto, interior de São Paulo, local onde a jovem morava, registrou no início deste ano, um caso positivo de febre maculosa, onde um morador foi infectado, onde foi tratado e curado.

O Ministério da Saúde informou que só este ano, 62 pessoas foram vítimas da doença no Brasil, destes, 16 pessoas vieram a óbito, representando 25%.

Nos Estados de Minas Gerais e São Paulo, as ocorrências dos casos foram maiores, com cerca de 14 e 16 mortes por causa da doença.

O órgão de Saúde ressaltou ainda que o número de infectados pela doença caiu em relação ao ano passado, apresentando em 2017 a taxa de mortalidade de 35%.

 O que é a febre maculosa e quais os sintomas

É uma doença transmitida pelo carrapato estrela, apresentando sintomas na vítima entre dois e catorze dias após a picada do inseto. A doença apresenta dores de cabeça, febre alta, dores pelo corpo, calafrios, vermelhidão nas pálpebras e manchas vermelhas no corpo.

Os hospedeiros onde geralmente são encontrados os carrapatos, são: os cães, bois, capivaras, roedores, cavalos e aves, mas o parasita também se alimenta do sangue de outros animais, como galinhas, perus, seriemas, carneiro, porco, cabra, veado, cotia, coati, tatu e tamanduá.

Os médicos alertam para as pessoas evitarem contato sem proteção (botas, calças compridas, meias) às áreas onde vivem capivaras, e procurarem atendimento médico imediato, após cerca de 4 dias que se manifestarem os sintomas.

Se ao examinar a pele, a pessoa encontrar um carrapato, retirá-lo na hora, pois a contaminação com a bactéria do parasita, se dá após 4 horas de permanência do mesmo no corpo.

Por ser facilmente confundida com outras doenças, o quanto antes procurar ajuda médica, mais cedo será diagnosticada e tratada a doença.

A febre maculosa não é contagiosa, ou seja, não passa de uma pessoa infectada para outra, e acredita-se que existam carrapatos infectados numa porcentagem de 1 a 3% deles.

A doença é perigosa e precisa ser tratada com urgência em todas as unidades de saúde.