Skip to content

Bolsonaro cancela visita ao Mackenzie com medo dos protestos

março 27, 2019

O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL) cancelou uma visita ao Mackenzie. A priori, a visita aconteceria hoje, quarta-feira, 27 de março. A princípio, o local da visitação seria o centro de pesquisa de grafeno da referida universidade.

Acima de tudo, a decisão sobre o declínio da visita ao Mackenzie aconteceu logo após estudantes e movimentos políticos marcarem protestos na sede da universidade. Antes de mais nada, vale lembrar que ela está localizada no bairro da Consolação.

Detalhes do cancelamento da visita ao Mackenzie

Com efeito, em termos oficiais, de acordo com a Secretaria de Comunicação da Presidência da República cancelou o a visita ao Mackenzie pois a mesma não tinha sido efetivamente confirmada.

Entretanto, a despeito de não vigorar na agenda presidencial, a visita tinha sido sim confirmada pela assessoria do Ministro da Ciência e Tecnologia. Ademais, ela estava presente também no check list de compromissos públicos do Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI).

Além disso, Marcos Pontes e Augusto Heleno, respectivamente ministro da Ciência e Tecnologia e do Gabinete de Segurança Institucional, estariam presente. Não apenas eles, João Doria (PSDB) e Bruno Covas (PSDB). Outrossim, o compromisso já foi apagado das agendas de Doria.  Ademais, o mesmo ocorreu com Bruno Covas.

Leia também:

Posteriormente, o cancelamento da visita foi divulgado em comunicado interno do Mackenzie. Haja visto disso, ele foi assinado pelo chefe de gabinete da reitoria, professor Wilson do Amaral Filho, e confirmado a VEJA pela Secretaria-Geral da Universidade.

Primordialmente, no texto, Amaral declara dessa forma que a visita ao Mackenzie foi “cancelada pela Presidência da República”.