Skip to content

Companhia de Energia do Piauí vai a leilão e tarifa cobrada deve cair menos de 5,22%

julho 26, 2018

Nesta quinta-feira, deve acontecer o leilão da Companhia de Energia do Piauí (Cepisa), às 10 horas da manhã na sede da B3 (antiga BM&F Bovespa), em São Paulo capital.

A iniciativa é do Governo Federal, juntamente com o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento), e a estatal Eletrobras.

Todas as distribuidoras de energia eram controladas por ela, que decidiu não renovar o contrato com as companhias:

*Companhia de Energia do Piauí;

*Amazonas Distribuidora de Energia;

*Boa Vista Energia;

*Centrais Elétricas de Rondônia;

*Companhia de Eletricidade do Acre;

*Companhia Elétrica de Alagoas;

Motivos para a realização do leilão das companhias

As vendas dessas companhias foram determinadas por conta do descumprimento às metas da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), falta de investimentos e problemas de gestão das distribuidoras de energia.

Entre as metas da Aneel, são as que visam mensurar a frequência dos desligamentos e tempo de duração das interrupções de energia elétrica aos moradores.

Para incentivar e atrair os interessados para os leilões, a Aneel e o governo se propuseram a fazerem várias concessões aos futuros compradores, entre elas, a flexibilização do cumprimento de índices de qualidade.

A ação promete trazer benefícios não só para a qualidade do serviço prestado, como a tarifa cobrada, que deve cair menos de 5,22%.

Portanto, o edital do leilão prevê, que o vencedor será quem ofertar o maior desconto na tarifa de energia, o lance mínimo de economia tem como base 8,52%.

Dentre as seis distribuidoras de energia a serem privatizadas, a mais atrativa, é a Cepisa, apesar de acumular dívidas e prejuízos de cerca de 496 milhões de reais em 2017.

A Eletrobras decidiu assumir 11,2 bilhões de reais em dívidas das distribuidoras, e se estas não forem vendidas, deverão ser desativadas, o que custará cerca de 16,6 bilhões de reais à estatal.

Resultado oficial divulgado do leilão

O resultado do leilão da Cepisa, foi a venda efetuada para a empresa Equatorial Energia, o que renderá aos cofres do governo 95 milhões de reais.

De acordo com Moreira Franco, o ministro de Minas e Energia, a Equatorial foi considerada uma empresa de qualidade, que já atende Maranhão e o Pará, fornecendo aos consumidores uma boa redução da tarifa de energia.

O vencedor do leilão terá que pagar ainda uma outorga simbólica pela concessão, no valor de 5 milhões de reais, além de 50 mil reais pela Cepisa, e injetar cerca de 720,9 milhões de reais como aumento de capital.

A secretaria-geral da Presidência da República, informou em nota, que a privatização trará benefícios para 1,2 milhões de cidadãos do Piauí, a 224 municípios do Estado, trazendo melhorias e serviço de qualidade.

A Equatorial Energia é uma empresa acionária majoritária, que controla a Cemar, no Maranhão, e a Celpa, no Pará.

Ela possui ainda importante participação no capital da Termoelétrica Geranorte, tendo entre seus acionistas a Blackrock, Opportunity e Squadra Investimentos, e 69,7% de participação de administradoras e minoritários.