Skip to content

A Alta Corte e o baixo clero – Marcelo Vasconcelo

dezembro 22, 2018

Desde de tempos remotos as cortes superiores de justiça eram respeitadas pelo povo, pois nelas se sustentava a última esperança no longo percurso processual que os indivíduos enfrentavam. O tempo passa, o tempo muda, as cortes altas de justiça mudam-se, politizam-se, o povo sente, o povo reclama.

Mas, a reclamação popular não diz respeito àquelas reclamações de quem fez parte do litígio processual, como de costume. Sempre quem perde num processo tende a queixar-se do resultado. O que ocorre atualmente não é bem isso, o povo reclama e não por ser parte que perdeu um processo, mas, porque perdeu o respeito.

Historicamente, a figura do juiz foi vista como a encarnação de um faraó, há tempos passados, quando um juiz passava a pé, as pessoas silenciavam-se, uns por respeito outros por medo mesmo. Ninguém gostaria de ser abordado por um juiz, incomodá-lo com o tom de voz alto ou com conversa afiada não estava no roteiro de ninguém. O juiz era respeitado pelo povo.

Atualmente, a respeitabilidade pública à magistratura está em processo de degradação, principalmente em relação à mais alta corte de justiça do nosso país, o STF (Supremo Tribunal Federal). Após as transmissões dos famosos julgamentos dos casos de corrupção, como o Mensalão, o povo começou a se interessar por assistir ou saber o que acontecia com os réus.

O tempo dá mais umas voltas e chegamos até aqui, o ponto da história em que o povo, de maneira geral, não só passou a se interessar por assistir aos julgamentos dos famosos casos de corrupção, mas, até saber os nomes dos ministros da suprema corte. Isso nunca antes na história do nosso país havia ocorrido.

Muitas pessoas não sabem quem são os principais jogadores da seleção brasileira, mas sabem quem são os ministros do STF que, frequentemente, soltam os bandidos de colarinho branco! O povo tá de olho, o povo estressa!

A cronologia avança, o país afunda, o desemprego cresce, o povo… há o povo! Esse tá com a paciência esgotada! A classe política, superprivilegiada e na maior parte dos casos corrupta, é quem mais se beneficia das decisões da alta corte. Muitos envolvidos em escândalos de desvio de verba pública foram soltos graças, graças à alta corte!

E os pobres que são presos por subtraírem alimentos em mercearias da vida? Há, esses são os selvagens do crime, não são tão beneficiados quanto quem desvia milhões de reais dos cofres públicos. O povo tá de olho, o povo tá sem paciência com tudo isso, mas, eles estão ainda com a capa sobre os ombros, o que a população vê e sente não faz diferença pragmática pra alta corte.

Chegamos já, ao ponto em que os ministros da mais alta corte de justiça do Brasil perderam o respeito do povo, comumente são hostilizados principalmente em aeroportos. A justiça no país virou escárnio, o povo não aguenta mais a obscenidade do poder judiciário, pessoas enfrentam os ministros no lugar que os veem, é triste o estado de deploração moral que levaram a justiça no nosso país.

Chegamos ao ponto do poder público alugar uma sala especial, no aeroporto de Brasília, para os ministros do STF poderem embarcar sem precisar ter contato com o povo, o baixo clero dessa sociedade, ainda, medieval no trato diferenciado entre ricos e pobres.

Não creio que o gigante tenha acordado, não! Ele ainda dorme. Mas já dá sinais de que é melhor acordar pra realidade. Quando isso acontecer, talvez seja tarde para a alta corte tratar com respeito o baixo clero.