Skip to content

Estatística alarmante: uma e cada cinco mortes é devido à sepse

fevereiro 7, 2020

Uma em cada cinco mortes em todo o mundo é causada por sepse, mostra a análise mais abrangente da doença. O relatório estima que 11 milhões de pessoas por ano estão morrendo de sepse – mais do que as que são mortas por câncer. Os pesquisadores da Universidade de Washington disseram que os números “alarmantes” eram o dobro das estimativas anteriores. A maioria dos casos ocorreu em países de baixa e média renda, mas mesmo países mais ricos estão lidando com a sepse.

Por que o aumento nos números?

As estimativas globais anteriores, que chegaram a 19 milhões de casos e 5 milhões de mortes, foram baseadas em apenas alguns países ocidentais. Essa análise, publicada no Lancet e baseada em registros médicos de 195 países, mostra que existem 49 milhões de casos por ano. Os 11 milhões de mortes por sepse representam uma em cada cinco mortes no mundo.

O que é a sepse?

A sepse também é conhecida como “assassina oculta” porque pode ser muito difícil de detectar. É causada pelo sistema imunológico sendo ativado em excesso. Em vez de apenas combater uma infecção, o sistema imune também começa a atacar outras partes do corpo. Em última análise, causa falência múltipla de órgãos. Até os sobreviventes podem sofrer danos e incapacidade a longo prazo.

As bactérias e vírus que causam infecções ou doenças pulmonares são os principais gatilhos da sepse. O estilo de vida daqueles que gostam de apostas esportivas e frequentam bares com constância pode aumentar o risco de hábitos não saudáveis, como alcoolismo em excesso e uso de drogas. Em última análise, hábitos de risco podem aumentar o contato do indivíduo com bactérias e vírus, que podem acabar causando essa resposta inflamatória sistêmica desregulada.

Quem é afetado?

“Eu trabalhei na zona rural de Uganda, e sepse é o que vimos todos os dias”, disse a pesquisadora, professora assistente Kristina Rudd.  Ela continua: “meus colegas que tratam pacientes no local em países de baixa e média renda todos os dias dizem isso há anos, que a sepse é um grande problema. Então, de certa forma, não fiquei tão surpresa – por outro lado, não esperava que fosse o dobro da estimativa anterior”.

A esmagadora maioria dos casos (85%) ocorre em países de baixa e média renda. As crianças estavam em maior risco, com quatro em cada dez casos em crianças com menos de cinco anos. Mas mesmo no Reino Unido, a sepse é um desafio. A taxa de mortalidade é maior do que em países como Espanha, França e Canadá.  Há cerca de 48.000 mortes por sepse no Reino Unido a cada ano, mostra o relatório. Houve um grande esforço no serviço de saúde para identificar os sinais de sepse mais rapidamente e iniciar o tratamento.

O que pode ser feito em relação a isso?

Reduzir o número de infecções pode reduzir o número de casos de sepse. Para muitos países, isso significa bom saneamento, água potável e acesso a vacinas. O outro desafio é melhorar a identificação de pacientes com sepse para tratá-los antes que seja tarde demais. O tratamento precoce com antibióticos ou antivirais para tratar uma infecção pode fazer uma enorme diferença.

Mohsen Naghavi disse: “Estamos alarmados ao descobrir que as mortes por sepse são muito maiores do que as estimadas anteriormente, especialmente porque a condição é tanto evitável quanto tratável. “Precisamos de um foco renovado na prevenção da sepse entre os recém-nascidos e no combate à resistência antimicrobiana, um importante impulsionador da doença”.